Instituto Kaplan
 

 

DIU (Dispositivo intrauterino) Hormonal?

É o Mirena - uma nova forma de anticoncepcional hormonal, que é colocado dentro do útero, como o DIU. Ele tem forma de “T”, com um reservatório que contém Levonogestrel, um hormônio que imita a progesterona. Desta forma, os efeitos colaterais são mínimos, e não comprometem o funcionamento do organismo, inclusive no que diz respeito ao grande tormento das mulheres: o ganho de peso.

Como funciona este método?

Trata-se de um dispositivo intrauterino (DIU) de plástico ou de metal que tem o formato de um cilindro de 3 centímetros de onde saem duas hastes laterais. Deve ser colocado no útero por um ginecologista até sete dias após o início da menstruação. Uma vez colocado, o Mirena libera diariamente pequenas doses de hormônios diretamente na parede interna do útero, de forma contínua por cinco anos. No final do mês, a soma de hormônio liberada equivale à quantidade contida em três pílulas. No entanto, ele é capaz de impedir a gravidez, porque isto é suficiente para deixar o muco do colo uterino mais espesso, criando uma barreira para a passagem dos espermatozoides, cuja mobilidade dentro do útero e nas trompas uterinas fica inibida. Além disso, o Mirena impede o crescimento do endométrio (camada de revestimento interno do útero), tornando-o desfavorável à gravidez e resultando em sangramento menstrual mais curto e menos intenso. E por fim tal contraceptivo faz com que as mulheres não ovulem, ou então que produzam óvulos de baixa qualidade, por isso a gravidez não se consuma.

Vantagens e cuidados

Nos primeiros três meses, o Mirena pode causar pequenos sangramentos irregulares e a menstruação pode desaparecer completamente em algumas mulheres, após poucos meses. No entanto tem a vantagem de reduzir dores menstruais.

A eficácia deste método na prevenção de gravidez está entre os melhores índices. Por exemplo, o Mirena tem o mesmo percentual de eficiência que a laqueadura tubária e a vasectomia, com a vantagem de ser reversível, uma vez retirado o dispositivo. É um contraceptivo caro, não acessível a todas as mulheres.

O Mirena não deve ser a primeira opção para a mulher que nunca teve filhos e deseja tê-los no futuro. Além disso, a probabilidade de ele ser expulso pelo organismo é maior na mulher que nunca teve filhos. Entretanto, com orientação e indicação médica, pode ser usado em qualquer idade, desde que a garota já tenha menstruado, com a vantagem de não ser necessário preocupar-se com a contracepção durante cinco anos.

Escrito por: Maria Helena Vilela

Tags: diu hormonal

comentários.

Métodos contraceptivos para as/os adolescentes

Não é milagre! A gravidez faz parte da natureza humana. Depois da primeira ovulação, qualquer garota corre o risco de engravidar numa relação sexual, ou num “namoro” mais íntimo em que o garoto ejacule próximo à entrada da vagina, se ela estiver no período fértil. Mas ninguém deve e nem precisa correr este risco na adolescência! Afinal, essa é uma fase de descobertas, brincadeiras, festas, mas também de um grande desenvolvimento escolar e de preparação para realizar o sonho profissional. Portanto, nesse momento não cabem a maternidade e a paternidade!

Neste artigo, vamos conversar um pouco sobre métodos contraceptivos que podem ajudar a lidar com a vida sexual, sem que se corra o risco de engravidar.

O método do adolescente

O método que deve estar sempre presente na vida dos adolescentes, principalmente na dos garotos, é o preservativo. Ele é único método que dá, ao menino, autonomia e controle para decidir quando ter um filho. Além disso, ainda protege o casal das DST/Aids.

A camisinha, quando bem colocada, dificilmente rompe, mas acidentes podem acontecer. Quando um casal tem vida sexual ativa e ter um filho está completamente fora de seus planos, é aconselhável utilizar um outro método contraceptivo associado à camisinha. Portanto, é importante que a menina também faça a sua parte na prevenção da gravidez. Existem vários métodos possíveis, desde a tabelinha até métodos hormonais ultramodernos. Considero a tabelinha importante para a garota conhecer o funcionamento de seu corpo, mas é um dos métodos que mais falha.

Os métodos contraceptivos mais eficazes e que também são adequados na adolescência são os hormonais. A sua eficácia é muito alta, em torno de 99,9 a 100%, de fácil utilização e reversível no momento em que for interrompido. A dobradinha método hormonal e camisinha pode ser a melhor forma de um casal cuidar de sua proteção às DST/Aids e à gravidez na adolescência.

Métodos hormonais

A principal função contraceptiva dos métodos hormonais é impedir a ovulação. Desta forma, enquanto a garota usar algum método hormonal, não há óvulo nas trompas para os espermatozoides fecundarem.

Existem vários tipos de métodos hormonais, mas a escolha de qualquer um deles precisa do acompanhamento de um médico ginecologista. Para conhecimento de vocês, segue abaixo uma tabela com os métodos hormonais e formas de utilização.

Pílula

Ingestão de um comprimido por dia, todos os dias, até finalizar uma cartela. Quando iniciar a ingestão e o período de pausa entre as cartelas, dependerá do tipo de pílula recomendada pelo médico.

Injetável

Consiste em tomar uma injeção muscular uma vez a cada 3 meses, ou 8 semanas, de acordo com a indicação médica.

Adesivo Transdérmico

O adesivo, que contém hormônios, deverá ser colado na pele, em qualquer local do corpo, menos nos seios ou próximo a eles. É trocado semanalmente e necessita de pausa de uma semana após três semanas de uso.

Anel Vaginal

É um anel plástico, flexível que é encaixado no colo do útero, de onde libera uma pequena dose de hormônio. A colocação é caseira e o anel deverá permanecer no local por 21 dias. Após esse período, deve-se fazer uma pausa de 7 dias e um novo anel será utilizado.

Implante

O implante é inserido debaixo da pele, na região do braço, por um médico. Durante três anos, vai liberar diariamente na corrente sanguínea as doses necessárias de hormônios para evitar a gravidez.

DIU Hormonal

É um pequeno cilindro com hormônios que, ao ser colocado no útero, passa a liberar hormônios, gradativamente. A colocação é feita em consultório médico. A durabilidade deste método é de 5 anos e, durante o seu uso, a garota não menstrua.

Aposte nessa parceria: a camisinha como método de prevenção à gravidez e às DST/Aids e o método hormonal como um reforço contraceptivo. Maturidade sexual significa também ser responsável pelo seu corpo e o do parceiro.

Escrito por: Maria Helena Vilela

Tags: camisinha,pílula anticoncepcional,adesivo anticoncepcional,injetável,anel vaginal,implante,diu hormonal

comentários.

O S.O.Sex - Serviço de Orientação Sexual à distância é uma das áreas de atuação do Instituto Kaplan. Criado em 1992, tem como objetivo atender as pessoas que buscam esclarecimentos de suas dúvidas sexuais, por meio de atendimento gratuito e personalizado. Até 2011 mais de 150.000 dúvidas foram esclarecidas e hoje atendemos poEmail. Saiba mais sobre nosso trabalho e resultados.