Instituto Kaplan
 

 

Entre beijos e carícias, fica difícil interromper

É um beijo aqui, um cheiro lá, uma palavra no ouvido e tudo começa a esquentar. Logo ele pensa: "Não tenho a camisinha, vou ter que ejacular fora". Ao mesmo tempo ela pensa: "E se ele não tiver camisinha?! Não posso deixá-lo ejacular dentro. Não quero ficar grávida". Essa é uma entre muitas situações, em que o casal utiliza um método contraceptivo natural, na tentativa de evitar uma gravidez.

Um deles é o famoso coito interrompido! Já se ouviu falar muito nele. Ele é talvez o método contraceptivo mais antigo de que a gente tem notícias. Para vocês terem uma idéia, o Velho Testamento já fazia menção a ele e na Idade Média (período no qual só se podia fazer sexo com a intenção de procriar), as pessoas que o praticavam e eram descobertas eram castigadas com a morte na fogueira...

A prática do coito interrompido

Coito significa relação sexual. Coito interrompido é a prática de retirar o pênis da vagina momentos antes da ejaculação, para evitar a gravidez. É uma prática muito utilizada por jovens e adultos, não apenas por falta de informação ou crença de que a gravidez não irá acontecer, mas por praticidade. Para utilizá-lo, não é necessário ir ao médico e pegar uma receita; não necessita um planejamento, e pode ser utilizado a qualquer momento; além de tudo não tem custo.

O coito interrompido é considerado um método contraceptivo, porque, para ocorrer a gravidez, é necessário que a ejaculação aconteça dentro ou próxima à entrada da vagina. Ou seja: os espermatozoides devem ser lançados num local que possibilite o contato dele com a secreção vaginal, porque esta é que vai conduzi-lo até as tubas uterinas. Logo, se a ejaculação não for dentro da vagina ou na entrada da vagina, a gravidez não irá ocorrer. Este método parece ser uma maravilha, quando não se levam em consideração algumas questões.

Nem sempre os espermatozoides são eliminados somente na ejaculação. Alguns espermatozoides podem sair do pênis junto com o líquido transparente que o homem produz durante a excitação sexual. Este líquido tem o objetivo de reduzir a acidez deixada pela urina no canal por onde o esperma passará, para que os espermatozoides possam sobreviver (lembre-se que no homem, a uretra serve tanto para a passagem do esperma quanto da urina).

O defeito irremediável

O maior problema do coito interrompido, porém, é o controle da capacidade de ejacular, isto é, retirar o pênis da vagina no momento exato, justamente quando a excitação e prazer são maiores. Isso é muito difícil e exige muita disciplina! Lídia Aratangy tem uma explicação no seu livro "O sexo é um sucesso", que exemplifica bem este defeito do método: "é como explicar para alguém que deve virar à direita na primeira rua antes do viaduto. A pessoa só vai se dar conta de onde era a tal rua quando chegar ao viaduto e a rua ficar para trás..." A diferença é que a ejaculação não tem volta. Por causa disso, é possível que alguns espermatozoides sejam expelidos segundos antes da retirada completa do pênis, correndo-se risco de gravidez.

O melhor é não arriscar. Para praticar tal método com uma certa eficácia é preciso ter absoluto controle da ejaculação.

Um outro defeito da prática do coito interrompido é que ela não evita o contágio de doenças sexualmente transmissíveis. O contato do pênis com a parede da vagina é o suficiente para a transmissão de uma série de DST, inclusive a AIDS, mesmo que não haja ejaculação, pois, quando o homem estiver infectado, o líquido pré-ejaculatório pode conter o HIV. Além disso, durante a relação sexual, podem ocorrer microscópicas lesões, que são possibilidades de contágio.

E... Os "defeitos" deste método não param por aí! A preocupação do controle ejaculatório, a tensão de estar correndo risco de enfrentar uma gravidez e a sensação de ter a ejaculação e/ou orgasmo interrompidos durante o ato sexual, além de causar uma frustração sexual no casal, em alguns casos, pode levar a problemas futuros de disfunção erétil e/ou ejaculatória.

Tudo isto nos mostra que as aparências enganam. O que parecia ser um método prático e fantástico, na realidade, se torna muito "complicado", quando a ação para evitar a gravidez é interromper uma sensação de prazer. Portanto, o coito interrompido é uma prática arriscada, quando não se quer, pode ou deve ter um filho. Nosso corpo não leva em consideração se temos condições para sustentar uma criança, se não desejamos a gravidez, ou mesmo se cremos que isso não acontecerá. A função sexual para o nosso corpo é a procriação, ele irá fazer de tudo para que ocorra a gravidez. Cabe a você, que é o dono dele, impedir que isso aconteça.

Escrito por: Maria Helena Vilela

Tags: coito interrompido,ejaculação,gravidez,DST

comentários.

Ejaculação feminina, existe?

Pois é: a ejaculação feminina existe. Quem acha que ejacular é exclusividade dos rapazes enganou-se. Mas o que se sabe sobre a ejaculação feminina? Pouca coisa. Mas também, imagina só a dificuldade de se fazer pesquisa nesse campo. Como se faz, por exemplo, pra arrumar amostras do líquido secretado? Por essa razão, muitas lendas foram criadas ao redor do assunto. O cinema e a literatura pornô fortaleceram a ideia de que o orgasmo feminino vem sempre acompanhado pela ejaculação, o que não é verdade. Por outro lado, a falta de estudos científicos faz muita gente duvidar que mulheres que ejaculam são reais!

Hoje já sabemos que o líquido secretado não é urina, ao contrário do que se pensou durante muito tempo. Sobre a quantidade, os filmes pornôs ajudaram a criar a falsa imagem de super mulheres lançando jatos de prazer durante o orgasmo. Na realidade, dificilmente uma mulher ejaculará mais do que meia xícara de café. Sobre a origem do líquido, acredita-se que seja produzido pela glândula de Skene. Em termos embrionários, as mesmas células que nas mulheres originam essa glândula, nos rapazes darão origem à próstata. Essa teoria também é reforçada pela constatação de que o líquido secretado pelas mulheres tem composição química semelhante à do sêmem – sem os espermatozoides, claro.

Resumindo: a ejaculação feminina existe, mas não é obrigatória. Não significa que a qualidade do orgasmo foi maior, mas indica que houve orgasmo. Quem já presenciou ou teve essa experiência podem ficar felizes ao constatar aquela “pocinha” nos lençóis (junto com a sensação de prazer, é claro)! Mas nem sempre é isso que acontece, o que pode gerar comentários desconfortáveis para a garota, do tipo “você fez xixi em mim!”, quando a pessoa desconhece a possibilidade da ejaculação feminina. Por isso escrevemos esse post, para desmitificar e informar (evitando) que o orgasmo cause embaraço ou vergonha.

Se vocês transaram e a garota ejaculou, comemorem! Pelo jeito vocês estão no caminho certo pra se conhecerem e fazer o sexo ficar cada vez mais gostoso! Mas não fiquem encanados se não aconteceu todas as vezes, o orgasmo feminino pode acontecer sem a ejaculação, além de que a mulher pode ter muito prazer numa transa sem chegar ao orgasmo. O importante é curtir e ter prazer, não é verdade?!

Escrito por: Letícia Diniz

Outra dica, quer tirar a sua dúvida específica? Adicione nosso Skype: sosex.kaplan  ou escreva para sosex@kaplan.org.br 

Tags: ejaculação,orgasmo

comentários.

Mesmo sem ter ejaculado dentro?

"Gostaria de saber se e possivel uma mulher engravidar ao fazer sexo sem preservativo mesmo se o homem não gozou, não teve orgasmo, na verdade esteve muito longe de atingir..."

Assunto de muitas dúvidas, o famoso coito interrompido vive sendo tema das perguntas que nos fazem - se existe risco da gravidez quando o cara penetra a garota sem camisinha e tira o pênis sem ter ejaculado dentro dela.O coito interrompido é uma das alternativas (nada segura!) de evitar uma gravidez não planejada quando estão sem camisinha. Problema na certa pois, além do pensado risco de gravidez, existe o risco de pegar uma DST.

Risco de gravidez, por quê?

Antes da ejaculação, o menino libera um líquido chamado de pré-ejaculatório - transparente - que tem duas funções: limpar o canal da uretra e lubrificar o pênis durante a relação sexual. Recentes pesquisas confirmaram que na composição do líquido pré-ejaculatório não há espermatozóides.

MAS o perigo está na seguinte situação: o líquido pré ejaculatório pode carregar os espermatozóides retidos no canal da uretra - se o garoto ejaculou, não urinou e se excitou em seguida. Desse jeito há risco sim de gravidez!

Risco de DST, por quê?

Para algumas DST como o HPV, dependendo da região que está infectada, basta o contato direto com o genital do parceiro/da parceira é o suficiente para você pegar :(

 

Mais outra dúvida sobre o coito interrompido...

"Eu e meu namorado estavamos sarrando o penis dele começou a penetrar minha vagina e estavamos sem camisinha e ele soltou aquele liquido transparente e eu estava no meu periodo fertil corro risco de engravidar?"

Risco de gravidez, por quê?

Bom, logo de cara transar no período fértil sem camisinha ou sem usar um outro método contraceptivo (pílula, adesivo, implante) é risco de gravidez na certa! Do mês inteirinho, vc escolhe abrir mão da camisinha bem no dia que tudo está preparado para que um espermatozóide chegue no óvulo que está lá nas tubas uterinas esperando para ser fecundado!

Então não vacile no período fértil, se for para ter uma brincadeira sexual que tal a masturbação com um gel lubrificante (desde que o menino não se masturbe e depois leve a mão molhada de sêmen ou líquido pré ejaculatório na vulva da menina - vale usar outros lubrificantes para essa brincadeira)!

Daí mais uma coisinha nessa dúvida: na composição do líquido pré ejaculatório não há espermatozóide MAS como ele passa pela URETRA onde o sêmen também passa, para garantir que o líquido pré ejaculatório não carregou nenhum espermatozóide que ficou no caminho da uretra o garoto tem que ter URINADO antes.

E se você quiser tirar uma dúvida específica pode adicionar sosex.kaplan no seu Skype e perguntar para o educador de plantão, ou mande seu email pelo nosso site

Tags: coito interrompido,ejaculação,gravidez,DST

comentários.

Ejaculação: uma viagem pelo mapa da mina

As mudanças pelas quais os garotos passam na puberdade não têm dia e nem hora marcada para começar. No entanto, por volta dos 13, 14 anos, costuma acontecer o primeiro sinal evidente de que o menino se transformou em homem. É a primeira ejaculação! Ela representa, para os meninos, o mesmo que a primeira menstruação representa para as meninas. Ambos significam que os adolescentes se tornam pessoas capazes de ter um filho!

O órgão sexual masculino é formado externamente pelo pênis e pelos testículos. O pênis possui três partes: a glande, o corpo e a base. A glande, também chamada de cabeça do pênis, é a parte mais sensível, por causa das inúmeras terminações nervosas que ela possui. O corpo é a parte que cresce no momento da ereção, aumentando o tamanho do pênis. Na parte interna do pênis, existem três cilindros feitos de um tipo de tecido que parece um "monte de cavernas". Estes cilindros, chamados corpos cavernosos, são irrigados por uma rede de vasos sanguíneos. Durante a excitação, o sangue enche estas cavernas e provoca um inchaço no tecido esponjoso do corpo e glande, deixando o pênis ereto (grande e duro).

Abaixo do pênis fica o saco escrotal. Dentro dele estão os testículos, que são duas bolas achatadas e que, no homem adulto, medem em torno de 3,5 cm cada um. Os testículos têm as funções de produzir a testosterona (hormônio masculino) e fabricar os espermatozoides.

Ao contrário das meninas que já nascem com todos os óvulos que vão eliminar durante a sua vida, os garotos produzem os espermatozoides à medida em que estes vão sendo eliminados. Depois de fabricados, os espermatozoides são armazenados nos epidídimos e são transportados para o interior do corpo através dos canais deferentes. Quando há o estímulo sexual, os músculos se contraem e empurram o esperma através da uretra, onde ele se mistura com fluidos vindos das vesículas seminais e da próstata, formando o sêmen. A ejaculação só ocorre quando o pênis está ereto.

A ejaculação é, portanto, a saída do sêmen em forma de pequenos jatos, que podem ser mais ou menos fortes, de acordo com o tempo da última ejaculação (quanto maior o espaço de tempo, mais forte é o jato), do grau de excitação e da constituição física de cada pessoa. A quantidade de sêmen que sai em cada ejaculação é, em média, de uma a duas colheres de chá, mas também depende do espaço de tempo entre uma ejaculação e outra.

A intensidade dos jatos não tem nenhuma influência na possibilidade de um garoto ser capaz de engravidar uma garota. Portanto, todos os meninos devem usar o preservativo em suas relações, se não desejam ter um filho no momento.

Quando um garoto fica sem ejacular por muito tempo, isto não faz mal à saúde dele. Como os testículos não param de produzir sêmen, de vez em quando este é eliminado espontaneamente, durante o sono. É a polução noturna, que também pode acontecer, quando o homem tem um sonho erótico.

O tamanho e a forma do pênis ereto variam muito de um homem para outro. O pênis pode ficar inclinado para a direita, ou para a esquerda; pode posicionar-se mais para cima ou para baixo, erguer-se mais ou menos. Um pênis menor geralmente se enche mais de sangue durante a ereção do que um pênis maior, por isso, quando estão eretos, a maioria dos pênis tem a tendência a se igualarem no tamanho: 16 cm, em média. Um esclarecimento importante: nem o tamanho, nem a forma do pênis são os responsáveis pelo fato de uma transa ser considerada boa.

Durante a ereção, é praticamente impossível o homem urinar. Entre a bexiga, a próstata e a uretra há uma espécie de válvula que, durante a excitação, se fecha para o lado da bexiga e se abre para o lado da próstata, permitindo a passagem do sêmen.

Embora ejaculação e orgasmo não sejam a mesma coisa, quando um homem ejacula, geralmente acaba sentindo uma sensação intensa e agradável, que o faz atingir ao orgasmo. É difícil explicar exatamente como é esta sensação. Algumas pessoas a comparam com um espirro, porque ambas envolvem uma intensa contração muscular, embora ter um orgasmo seja mais gostoso do que espirrar! Uma outra explicação talvez seja a sensação de ondas de prazer que começam nos órgãos genitais e se irradiam, às vezes, atingindo todo o corpo.

É fundamental lembrar que o corpo tem um dono, um homem que imprime nele características pessoais. Portanto, a forma como cada um vai usar e usufruir do prazer de seu corpo depende de valores, crenças, fantasias, conhecimentos, experiências e principalmente respeito por ele. Cuide do seu corpo, ele depende de você!!!

Escrito por: Maria Helena Vilela

Tags: ejaculação,sêmen,orgasmo

comentários.

Primeira ejaculação

A primeira ejaculação é muito esperada. Enquanto ela não acontece, os meninos não sossegam. E mais: acreditam que, quanto mais se masturbarem, mais cedo ela irá acontecer. Por isso, não é incomum o garoto passar mais tempo no banheiro do que era o seu costume. Mas, para a tristeza da maioria, masturbação não acelera o caminho natural de cada um. O menino irá ejacular no seu momento, de acordo com a sua herança genética e seu desenvolvimento físico. Por outro lado, se não se masturbar, não vai poder ver a saída do jato tão esperado e experimentar a alegria, alívio de se sentir homem – ter a capacidade de gozar e, futuramente, espera-se, engravidar uma mulher.

A função principal

Toda a mudança que o corpo sofre durante a puberdade é por uma causa muito importante: a reprodução. Por isso, neste período, o acontecimento mais importante para a menina, é a menstruação, significando que ela começou a ovular; e para o garoto, é a ejaculação, a confirmação de que sua linha de produção de espermatozoides entrou em ação.

A ejaculação acontece para que os espermatozoides sejam depositados na vagina e tenham a oportunidade de encontrar o óvulo nas tubas uterinas e assim se realizar a fecundação. Quando o garoto começa a ejacular, se ele tiver uma relação sexual, pode engravidar uma garota. No primeiro ano, ele não é muito fértil; ainda tem uma baixa produção de espermatozoides. Mas, mesmo assim, se transar sem proteção, existe o risco de gravidez.

A primeira ejaculação

A primeira ejaculação se chama semenarca ou espermarca. A idade em que ela ocorre é variável, assim como a forma. Enquanto alguns meninos já apresentam ejaculações desde o início da puberdade, outros só a terão no final do desenvolvimento. No entanto, é muito comum que ela ocorra na fase do estirão de crescimento, quando o garoto tem um ganho rápido de altura e o pênis aumenta de tamanho, a olhos vistos.

Para muitos meninos, a expectativa sobre a primeira ejaculação é de um jato muito forte e numa quantidade infinitamente maior do que seria o natural. Muitos garotos têm o desejo de terem uma ejaculação espetacular, por isso é comum a decepção com o primeiro jato.

Certa vez um garoto comparou, decepcionado, a primeira ejaculação à água de coco. Para seu alívio, nas próximas ejaculações, o esperma ficou mais encorpado, com a cor pouco amarelada e um cheiro parecido com o de água sanitária.

 

Quanto à quantidade, aumenta com a maturidade física e a experiência sexual. A quantidade normal de sêmen ejaculado varia em torno de 2,0 a 5,0 ml (o equivalente a uma colher de sopa!).

Esta variação de volume depende do grau e do tempo de excitação. O sêmen é formado por espermatozoides, um pouco de secreção que vem das glândulas seminais (secreção seminal) e bastante secreção que vem da próstata. Quanto mais o homem ficar excitado, e demorar para gozar, mais líquido prostático ele produz, e maior é o volume de sêmen que ele ejacula.

 

 

A primeira ejaculação ocorre, em geral, na masturbação, mas também é muito comum ocorrer durante o sono. Neste caso é chamada de polução noturna.

Polução noturna

Polução noturna é uma ejaculação involuntária que ocorre durante o sono. Quando a primeira ejaculação ocorre dessa maneira, deixa muitos meninos confusos; muitos, ao se verem molhados, acham que urinaram na cama. Não vale a pena a preocupação, pois os adultos sabem que isto acontece com todo homem na adolescência, ou mesmo na fase adulta. A polução noturna é apenas uma forma que o corpo encontrou para eliminar os espermatozoides, quando o garoto passa muito tempo sem se masturbar ou ter relações sexuais, ou quando fica excitado, e dorme sem resolver a situação.

Durante o sono, passamos por vários estágios que vão do sono leve ao profundo. Neste processo, há um momento, chamado de fase REM (Rapid Eyes Moviment ou movimento rápido dos olhos), que ocorre de uma a nove vezes por noite, em que podem ocorrer as ereções fisiológicas para oxigenar os tecidos do pênis. Se o homem tiver sonhos eróticos durante esse período, a polução noturna pode acontecer. É assim que o organismo "se livra" do excesso de sêmen acumulado.

Atenção: o fato de o garoto já ter ejaculado não significa que ele já esteja pronto para iniciar a vida sexual, e muito menos para ser pai. Quando o menino é pressionado a fazer sexo, sem se sentir confiante, o início pode ser desastroso, e, até desprazeroso. É muito importante que cada um respeite o seu tempo e seus sentimentos.

Escrito por: Maria Helena Vilela

Tags: ejaculação,polução noturna,sêmen

comentários.

O S.O.Sex - Serviço de Orientação Sexual à distância é uma das áreas de atuação do Instituto Kaplan. Criado em 1992, tem como objetivo atender as pessoas que buscam esclarecimentos de suas dúvidas sexuais, por meio de atendimento gratuito e personalizado. Até 2011 mais de 150.000 dúvidas foram esclarecidas e hoje atendemos poEmail. Saiba mais sobre nosso trabalho e resultados.